Cicloturismo urbano

Será possível? Será que a Guiga deu pra inventar moda, agora? Depois do lance dos coturnos, ela começou a interpretar suas rotas diárias como pequenas viagens sobre duas rodas. Não pela distância, mas pelo planejamento que essas pedaladas requerem. Afinal, pedalar pro trabalho, pra faculdade, pra academia, pra bicicletaria e pra uma infinidade de lugares diferentes no mesmo dia é mais complicado do que parece. Continuar lendo

Anúncios

Superação em números

Já que a Guiga não é lá muito chegada em competições pra ver quem vai mais rápido de um ponto a outro, ela acaba focando na auto-superação. Ontem, descendo uma ladeira, conseguiu ultrapassar a velocidade máxima permitida nas cidades (60 km/h), o que foi motivo de orgulho pra mim, que propiciei esse minutinho de adrenalina no dia monótono que ela tem que encarar.


Continuar lendo

Rotina de bike

Até que, um belo dia, a Guiga resolveu me incluir na rotina de academia dela. Decidiu ir pedalando para a academia, ao invés de ir a pé. Ela treina jiu-jitsu no Porão da Luta, o porão mais pauleira da cidade, que fica também num ponto alto de Porto Alegre (“rótula” da Carlos Gomes – hoje em dia é um viaduto). Continuar lendo