Vestígios da balada da noite

Hoje, ao ver uma árvore caída na Av. Nilo Peçanha e estilhaços de automóvel ao redor, a Guiga começou a pedalar mais devagar. Imagino que ela tenha passado o trajeto inteiro refletindo sobre esses estilhaços, com medo de que um dia eu me transforme em estilhaços também. O medo é justificado, pois estilhaços de carro vêm sendo muito frequentes ultimamente. No mínimo uma vez por dia nós passamos por algum novo local onde tenha ocorrido acidente com automóvel. Continuar lendo

Anúncios

Cicloturismo urbano

Será possível? Será que a Guiga deu pra inventar moda, agora? Depois do lance dos coturnos, ela começou a interpretar suas rotas diárias como pequenas viagens sobre duas rodas. Não pela distância, mas pelo planejamento que essas pedaladas requerem. Afinal, pedalar pro trabalho, pra faculdade, pra academia, pra bicicletaria e pra uma infinidade de lugares diferentes no mesmo dia é mais complicado do que parece. Continuar lendo

Domingo é dia de suco

Alone, but not forever. O domingo amanheceu lindo, mas mais linda ainda foi a companhia baiana que combinou de ir com a Guiga até o Suco. Já fizemos esse pedal antes, com uma galera! Dessa vez, foram só a Guiga e o Roger, com direito a tombos, biscoitos integrais e amáveis sotaques. Só não teve foto. Continuar lendo

Dia de manutenção

Domingão ensolarado, nada melhor do que dar uma volta de bicicleta, em busca de grafites pela cidade, depois de um banho de querosene e lubrificante. O que a Guiga não esperava era ter que dedicar mais tempo à manutenção das minhas peças do que à pedalada em si. Continuar lendo

Piquenique na praça Japão

Ontem rolou um piquenique na praça Japão, em Porto Alegre. Foi uma manifestação pacífica contra a construção de uma trincheira na Av. Anita Garibaldi que vai derrubar um monte de árvores e… Não vai ter ciclovia nem ciclofaixa.

Piquenique pacífico pela não-construção da trincheira da Anita.

A pedalada mais punk

Na última quarta-feira, dia 14 de março, caiu aquele toró em Porto Alegre. Começou com meia dúzia de pingos às 8h da manhã e às 8:10 a coisa já estava fora de controle. É claro que a Guiga não podia deixar passar essa oportunidade de me dar um banho gratuito e foi trabalhar abaixo de chuva. Continuar lendo