Para pedalar no mármore do inverno, use coturnos

O inverno de verdade ainda nem chegou. Estamos no comecinho de outono e Porto Alegre foi contemplada com uma frente fria que destruiu os sonhos de felicidade eterna de muitos ciclistas. Mas a Guiga prometeu que não vai me abandonar e agora está dando um jeito de pedalar com o maior conforto possível, tentando não passar frio. Hoje ela deu o primeiro passo: comprou coturnos.

Tanta coisa prioritária a ser comprada (roupas compridas, touca ninja, luvas fechadas) e a Guiga surge com um par de coturnos, parecendo um punk dos anos 60, ou um milico, com a calça enfiada para dentro do cano do calçado.

Papete: o melhor calçado para pedalar. Essa história de andar clipado em viagens cicloturísticas não cola.

Para quem não sabe, a Guiga sempre pedala usando papetes. Pra quem não sabe, papetes são esses chinelos da foto ao lado. As pessoas costumam tirar uma onda com quem tem entre 5 e 75 anos e usa papetes, mas assim como o Antigão, a Guiga não liga pra essas coisas e vai pra tudo quanto é canto usando papetes (inclusive no trabalho) – pelo menos no verão.

Os papetes são perfeitos para pedalar (e, principalmente, viajar pedalando) porque não caem do pé, são fáceis de tirar e colocar, não geram produção de suor e chulé, não encharcam com chuva (e, quando molhados, secam rápido), podem ser usados em inúmeras ocasiões e permitem que o pé respire durante a pedalada.

A questão é que, com esse frio que só tende a se intensificar, papetes não estão mais dando conta do pedal. Temos outras opções:

  • Usar tênis com as meias por cima das calças: alargaria as meias e não seria esteticamente decente (só faça isso em casa!).
  • Usar caneleiras, como os caras que andam de BMX: nada a ver com pedalar no dia-a-dia, a trabalho ou a passeio.
  • Usar fitas refletivas para enlaçar as canelas (além de evitar que a boca da calça tranque nos dentinhos da coroa, aumenta a visibilidade do ciclista): uma boa saída, mas não resolveria outro contratempo que surge no inverno – as chuvas.

Pensando nisso tudo, a Guiga decidiu comprar coturnos. Coturnos tamanho 35 são raros e caros, mas ela achou e comprou na mesma hora. O modelo Comando, da linha tática da marca Vento (“antigas” botas Nômade), é o que tem o cano mais alto, ou seja, dá para enfiar a calça ali dentro e pedalar com tranquilidade.

Pedal punk.

Pode não parecer, mas coturnos são muito confortáveis e o fato de terem cano alto e meio duro torna a pedalada mais firme. Só há dois poréns: o primeiro é que a lingueta do coturno não é unida às laterais do cano alto da bota (mas impermeável o suficiente para apelar ao coturno em dias de chuva); o segundo é que os pés ali dentro, com meias, esquentam de verdade e podem suar (pra quem estava acostumado a usar sempre papetes, suor nos pés é novidade).

De qualquer forma, agora a Guiga tem um calçado para o inverno e um para o verão. Ela parece uma adolescente rebelde, pedalando com essa indumentária toda preta no meio dos carros, ao estilo Road Rash. Quero só ver quando ela comprar a tal da touca ninja, aquela usada por motociclistas para se proteger do vento no rosto. Vai ser um escândalo nas ruas da cidade.

Anúncios

2 respostas em “Para pedalar no mármore do inverno, use coturnos

    • E aí Walescko!
      Então me conta a experiência depois que usar! Eu coloquei manguitos e pernitos na minha wishlist, mas estou pensando mesmo em comprar calça e camisa de manga comprida. Ainda não decidi, mas vai ser legal saber a opinião de quem já usou!
      Abração!!! Bom pedal e vamos combinar alguma viagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s